Noticias
Voluntários são convidados para atuar na Operação Inverno de 2016

Voluntários são convidados para atuar na Operação Inverno de 2016

O inverno começa oficialmente no próximo dia 21, mas a Prefeitura de Curitiba, por meio da Fundação de Ação Social (FAS), inicia a partir desta quarta (1º) a Operação Inverno 2016, que amplia o atendimento à população em situação de rua nos meses mais frios do ano. A novidade este ano é a criação de um programa de voluntários, em que qualquer pessoa com mais de 18 anos poderá se inscrever para auxiliar no atendimento aos moradores de rua, seja nas abordagens à noite, seja no trabalho de albergagem.


O lançamento da operação ocorreu na manhã desta segunda-feira (30) em um café da manhã que reuniu o prefeito Gustavo Fruet, secretários municipais, administradores regionais e parceiros da campanha Doe Calor, de arrecadação de agasalhos e cobertores. Criada em 2013, ano em que Curitiba registrou um dos invernos mais rigorosos dos últimos dez anos, a Operação Inverno amplia o número de equipes de abordagem social nas ruas e aumenta emergencialmente o número de vagas de acolhimento na cidade.


"O objetivo é promover o voluntariado, incentivar a participação solidária e canalizar a energia de milhares de pessoas que querem colaborar em um momento como esse", afirmou o prefeito Gustavo Fruet. "O auge da crise se manifesta agora. A procura por atendimento nos equipamentos públicos de Curitiba vem aumentando. Muitas pessoas, por falta de ações em outras regiões do estado e do país, acabam vindo para a capital na busca de alternativas", completou. O programa será realizado com apoio da Defesa Civil, que fará a recepção, treinamento e encaminhamento dos voluntários.


A presidente da FAS, Marcia Oleskovicz Fruet, lembrou que, além da atuação das equipes de atendimento social da FAS, a Operação Inverno conta com o apoio de outras secretarias municipais. "Tivemos até secretários que foram para as ruas e isso muda a visão com relação à pessoa em situação de rua. A partir daí, esse compromisso passa a ser da cidade e não de apenas um órgão. Por isso, resolvemos ampliar essa participação intersetorial", disse.


"Ano após ano notamos um aumento dos grupos que fazem doações de alimentos e roupas nas ruas. Entendemos e admiramos o gesto de solidariedade, mas isso dificulta o trabalho da abordagem social", explicou a coordenadora de atenção à população em situação de rua da FAS, Sueli Cortiano.


Segundo ela, essa é a oportunidade de unir esforços e garantir a proteção segura de quem está nas ruas. "Mais do que nunca, nosso compromisso é com a dignidade humana e queremos garantir que as pessoas sejam atendidas dentro de um espaço seguro e recebam o apoio necessário", salientou.


Os voluntários vão atuar tanto no trabalho de abordagem social nas ruas, ao lado de educadores e assistentes sociais, como dentro das unidades de atendimento, onde a pessoa atendida pode fazer a troca de roupa, alimentação, higiene pessoal e albergagem.


O interessado deve ter mais de 18 anos e disponibilidade de horários (o voluntário poderá trabalhar até 6 horas semanais). Para participar, é preciso se cadastrar pela internet no site http://www.curitiba.pr.gov.br/cadastro-voluntario-doe-calor link disponível no portal da Prefeitura de Curitiba, e aguardar o contato da Defesa Civil.


Na edição deste ano da Operação Inverno serão oferecidas 1.317 vagas de acolhimento nas 18 unidades de atendimento à população em situação de rua de Curitiba. Em caso de emergência, outros três espaços da Defesa Civil estão preparados para receber moradores de rua que aceitarem o atendimento.


Como ajudar


A campanha do agasalho de Curitiba, a Doe Calor, já tem postos de coleta espalhados pela cidade. Os endereços podem ser conferidos no site www.doecalor.com.br Além da doação, existe a possibilidade de se adquirir vale-cobertores no valor de R$ 10. Mais informações pelo telefone (41) 3040-1500.


Doações de móveis, eletrodomésticos e utensílios domésticos podem ser feitas pelo Disque Solidariedade, solicitado pela Central 156.


Capacitações

Em um evento adverso a possibilidade de alguém sofrer alguma queda, escorregar ou se machucar é muito grande. Para isso precisamos de pessoas capacitadas para atender àquele que necessitar de ajuda.


Estabelecer os requisitos para a elaboração, manutenção e revisão de um plano de emergência contra incêndio, visa proteger a vida, o meio ambiente e o patrimônio.



Telefones
© 2009 - Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil - COMPDEC
Rua Capitão Souza Franco, 13 - Bairro: Batel - CEP: 80.730-420
defesacivil@curitiba.pr.gov.br
Curitiba - Paraná